Google reforça privacidade

Por | 16 de Março de 2007
O Google está apostado em reforçar a protecção da privacidade dos consumidores e para isso vai tornar a sua base de dados sobre os hábitos de busca dos utilizadores o mais anónima possível.
Para o efeito, é intenção da empresa que tais dados sejam tornados anónimos depois de 18 ou 24 meses após a sua recolha, já que se trata de informação pessoal de milhões de utilizadores que pode ser utilizada para os identificar.

O Google recolhe informação de todo o tipo de buscas feitas a partir do seu portal, como palavras-chave, endereços de Internet e «cookies», que são utilizados por anunciantes para estudar os hábitos de navegação dos cibernautas.
Ao «anonimizar» esta informação, o Google separará os dados de busca (termos de busca) dos elementos que podem identificar o utilizador, através da eliminação dos últimos números dos endereços IP.
Actualmente, a empresa guarda estes dados de forma indefinida em centros de armazenamento distribuídos por todo o mundo.

“Antes guardávamos estes dados enquanto eram úteis”, assegurou um responsável da empresa. “Agora, faremos todos os possíveis para tornar os dados anónimos depois de um período limitado”, acrescentou, advertindo, no entanto, que estes serão tratados por forma a tornarem-se anónimos, mas não destruídos.
Segundo Peter Fleisher, responsável pela privacidade da empresa na Europa, trata-se de uma medida para “aumentar a transparência no tratamento de dados dos nossos clientes”. “Entendemos que os nossos clientes têm que confiar no Google”, acrescentou.

O Google pretende concluir o seu plano antes do final deste ano.

Na Aldeia mais digital de Portugal – Beijós

Arquivado em: Web

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *