Steve Jobs apoia venda de música em formato aberto

Por | 8 de Fevereiro de 2007
Numa carta aberta, o líder da Apple surpreendeu tudo e todos, com um apelo à venda de música num formato compatível para todas as lojas on-line e leitores multimédia.
A carta foi ontem publicada no site da Apple e pode marcar um novo posicionamento da Apple na venda de música na Internet.A gestão digital de direitos ou GDD (em inglês Digital Rights Management ou DRM) consiste em permitir a restrição da difusão por cópia de conteúdos digitais ao mesmo tempo em que se assegura e administra os direitos autorais e suas marcas registradas. O objetivo da GDD é poder parametrizar e controlar um determinado conteúdo de maneira mais restrita. Actualmente é possível personalizar o varejo da difusão de um determinado arquivo comercializado, como por exemplo o número de vezes em que esse arquivo pode ser aberto ou a duração da validade desse arquivo.

In Wikipédia

«Imaginem um mundo onde todas as lojas on-line vendem música sem códigos de gestão de direitos de autor (DRM) em formatos abertos que podem ser licenciados. Nesse mundo, qualquer leitor pode reproduzir música comprada de qualquer loja, e qualquer loja pode vender música que pode ser reproduzida em todos os leitores. Esta é, claramente, a melhor alternativa para os consumidores, e a Apple vai apoiá-la imediatamente», pode ler-se na carta aberta de Jobs.

Através do “duo dinâmico” iPod/iTunes, a Apple alcançou a liderança destacada da venda de música na Internet. Para muitos observadores do mercado esta liderança deve-se, em boa parte, à utilização de um formato fechado (o Fair Play) que limita, na maioria das vezes, a audição de músicas descarregadas do iTunes aos leitores iPod e computadores fabricados pela Apple.

Jobs justifica a adopção do sistema Fair Play como a única forma de cumprir uma das exigências das quatro maiores editoras discográficas mundiais, que impuseram a aplicação de sistemas anti-pirataria para o fornecimento de música.

Jobs faz ainda uma menção às críticas de que o iTunes tem sido alvo na Europa (especialmente, na Noruega, onde as autoridades locais acusaram a loja virtual de ilegalidade): «Na Europa, surgiram várias preocupações em torno dos sistemas de DRM. Provavelmente, quem se sente descontente com a actual situação deva redireccionar as suas energias com vista a persuadir as editoras a vender música sem DRM».

Fonte: Exame Informática

Na Aldeia mais digital de Portugal – Beijós

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *